Trabalho decente

Para os trabalhadores e as trabalhadoras no Brasil trabalho decente também equivale a um trabalho estável e a um salário no fim do mês, proteção da saúde, formação contínua, implementação e observância das convenções fundamentais da OIT, erradicação das diversas formas de discriminação bem como sindicatos independentes com direito de organizar os trabalhadores no local de trabalho. Apesar dos avanços conquistados nos últimos anos considerando, por exemplo, os aumentos salariais, a diminuição da discriminação e o crescimento do emprego formal, o Brasil ainda está longe de oferecer trabalho decente a todos: um em cada dois trabalhadores continua no setor informal e são mais mulheres do que homens; homens negros ganham 47% menos que brancos; sindicatos exercem pouca influência no local de trabalho; o trabalho infantil ainda é um problema no Brasil.
Como podemos chegar ao trabalho decente? Junto com os sindicatos, a representação brasileira da OIT, instituições de pesquisa do meio sindical e trabalhista bem como o governo, a FES tem trabalhado em três dos quatro pilares do conceito de trabalho decente: direitos dos trabalhadores, proteção social e diálogo social. Contudo, trabalho decente é sempre também resultado de uma política social justa, o que engloba as políticas financeira, econômica e social. Por isso, as outras linhas de atuação da FES, como por exemplo, um novo modelo de desenvolvimento ou a inclusão social também estão estreitamente ligadas ao objetivo de implementar o trabalho decente no Brasil.

<<